Aurora Gaia no Lagar

aurora_gaia2

Sábado, 13 de Dezembro, 21:30. Entrada livre

Em ambiente informal de café-teatro, Aurora Gaia faz-nos uma visita para contar as suas histórias de  vida, de teatro, dizer poesia e apresentar o seu livro “E por isso eu amo tanto a palavra”.
.
Nascida no Porto, a 7 de Setembro de 1938, viveu longos anos em Gaia. Reside actualmente no Furadouro, Ovar.

Desde sempre associada a projectos de cariz cultural, desenvolveu a sua actividade profissional na televisão – na RTP, no Monte da Virgem – como caracterizadora.

Em 1980, sob a direcção de Norberto Barroca, estreou-se na companhia de teatro Seiva Trupe na peça “Quanto vale um poeta”. Seguiram-se “Um cálice de Porto, “A dama de copas”, “Liberdade em Bremen” e “Marlene”.

No Teatro Experimental do Porto (TEP), interpretou “A lenda de Gaia”, “Reginaldo”, “Os fantasmas”, “É urgente o amor”, “Henriqueta Emília da Conceição” e “Felizmente há luar”.

A televisão e o cinema têm tido um lugar muito especial na sua vida.

No cinema, participou em longas, médias e curtas metragens, entre as quais se destacam os filmes “Uma relação fiel e verdadeira” de Margarida Gil, “Intermitências”, “Estado de graça” e “Quando eu morrer”, estes três últimos exibidos no Fantasporto. Foi, ainda recentemente, protagonista em “Chá da noite” de Luís Moya e parte do elenco das séries “Triângulo Jota” e “Lendas de Portugal”. A sua interpretação em “Intermitências” valeu-lhe uma nomeação honrosa.

Apesar de aposentada, tem continuado a dedicar-se à formação de caracterização em escolas, colectividades e na Federação Portuguesa de Teatro.

Tem-se dedicado à poesia, quer como autora quer como divulgadora.

Colaborou, na Rádio AVFM (Antena Vareira), de Ovar, no programa de apoio e divulgação cultural “Vialer é viajar”.

É membro da Academia de Letras e Artes Lusófonas (ACLAL).

Foi homenageada, pela sua actividade em prol da arte, pelo Teatro 26 de Janeiro, com o prémio Amasporto, em 2005.

Em Abril de 2013, lança com sucesso o seu primeiro livro de poesia “E por isso eu amo tanto a Palavra”. Obra Seleccionada na Lista Final para o Prémio Literário de Poesia Glória de Sant’Anna 2014.

Integrou o elenco da minissérie da RTP “Mulheres de Abril”, que foi para o ar em 2014.